Anexo:Eleições Municipais Em Pamplona 1

Anexo:Eleições Municipais Em Pamplona

nas eleições de 3 de abril de 1979, UCD, partido do presidente Adolfo Suárez, foi o mais votado, recebendo 8 vereadores. O segundo local foi pra hb, com 7. Depois, como terceira força com 5, o PSOE. Nas eleições de oito de maio de 1983, foi reeleito como prefeito Julián Balduz, agora prontamente pelo PSOE, dado que o Partido Socialista de Navarra, que tinha acabado de formar a sua própria federação dentro do PSOE.

Os jornais da época recolhem uma curiosa história que aconteceu antes de ser configurado o segundo mandato de Balduz. Nas negociações anteriores, a UPN e AP, que somavam onze vereadores, chegaram a recomendar o único edil do PNV, Julho Oteiza, que lhe dariam a prefeitura, com tal de que não saísse o PSN.

Mas dependia de que HB lhe apoiasse, e não ia ser deste modo. Então, UPN (7) e AP (4) votaram no candidato da UPN, João Cruz Alli, e PSN (com 11) e HB (com 4), se votaram a si mesmos, enquanto que o PNV (1) o fez em branco.

depois de ter empatado a 11, repetiu Julião Balduz (PSN), por ser a tabela mais votada. Nas eleições de dez de junho de 1987, houve um empate no número de vereadores entre os 2 primeiros grupos municipais: UPN, ainda sem se absorver a AP (atual PP), e o PSOE.

a sessão de investidura, UPN só conseguiu o apoio de seus sete vereadores; em razão de nem sequer lhes apoiaram nem sequer o vereador de AP ou UDF (União Democrata Foral), que deviam abster-se. 7 do PSOE, os outros seis de HB, CDS (3) e EA (2), votaram a seus próprios cabeça de tabela. Havendo empate pela investidura entre PSN e UPN, o candidato regionalista de UPN, Javier Chourraut, foi eleito presidente da câmara para ser a relação mais votada no consistório. AP teve um descalabro nestas eleições, passando de um percentual muito alto de seus votos a UPN e ao surgimento de algumas forças políticas, como CDS e UDF.

  • 5 Interrogatórios dos diretores da Odebrecht (fevereiro de 2019)
  • 70 possível violação de nomes de utilizador
  • Remodelação, ampliação e construções menores: Caracas, Maracaibo e São Cristóvão
  • 2 Bomba 5 de setembro de 1980
  • Por que Junts pel Sim ganha terreno nas pesquisas
  • Quarta presidência espanhola da União Europeia no primeiro semestre do ano

Em 1991 UPN, PP e firmaram um pacto, que duraria até o ano de 2008, o que o PP se integrava pela UPN, constituindo dessa maneira uma única listagem da direita navarra, pra concorrer em conjunto em todas as eleições. Após as eleições de 26 de maio de 1991, todos os grupos políticos votaram a teu cabeça de tabela na sessão de investidura, contudo Javier Ayesa, o edil de EA, que votou em branco. Alfredo Jaime foi eleito prefeito com 13 votos a favor de seu grupo, a governar em minoria.

No Parlamento de Navarra, cujas eleições foram realizadas pela mesma data, o mesmo ocorreu. A combinação de um pacto tripartite entre PSN (11), CDN (10) e EA (2), deram a presidência navarra ao candidato socialista Javier Otano. Da esquerda Unida, absteve-se na votação, e não quis tomar parte do pacto de governo.

As eleições de 13 de junho de 1999 forneceram a prefeitura a ângelo correia (UPN), que foi eleito na sua primeira investidura, com doze votos. Nas eleições de 25 de maio de 2003, UPN conseguiu um vereador mais ao obter treze dos vinte e sete vereadores, sendo, novamente, a primeira potência política. O PSOE, segunda força, conseguiu 5 vereadores, UI três, a coalizão EA-PNV dois (ambos da EA, Aralar dois e CDN dois.

Um pacto entre a UPN e CDN deu de novo a prefeitura a ângelo correia (UPN). Os votos nulos aumentaram por causa que a candidatura Iruñea Berria foi anulada, por ser considerada pelos tribunais relacionada com Batasuna. Após as eleições de 27 de maio de 2007, UPN manteve os 13 vereadores que tinha nas anteriores eleições.

Nafarroa Bai (NaBai), em tuas primeiras eleições municipais, conseguiu ser a segunda potência pela prefeitura, com 8 vereadores. Além do mais, CDN e ESPANHA-NEB ficaram sem representação na câmara municipal. Em 2008, produziu a ruptura da coalizão governante e, após os sanfermines do ano seguinte, uma vereadora, que concorreu nas listas de UPN integrou-se no Partido Popular.